quinta-feira, 27 de novembro de 2008

CICLO DE CINEMA -


Ficha Técnica

Título Original: Adeus, Pai

Realizador: Luís Filipe Rocha

Género: Drama Ano: 1996

Duração: 85 Minutos


Elenco: José Afonso Pimentel ... Filipe
João Lagarto ... Manuel
Laura Soveral...DonaPaula/ Professora
Natália Luísa ... Mãe
Lourdes Norberto ... Avó
José Fanha ... Rodinhas
Adriana Aboim ... Joana
João Aboim ... Pedro
Daniel Martinho ... Taxista
Carlos Rodrigues ... Bum
Rosário Moreira ... Maid
Luka Ribeiro ... Turista Americano

Versão original com legendas em português
Biblioteca Delgado Valhondo - Quarta-feira – 3 de Dezembro -19h00

Era uma vez um filho que queria ter um pai que quisesse ter um filho...

Não é só para Filipe (José Afonso Pimentel) - que, aos 13 anos, consegue realizar o sonho de conhecer melhor o pai, Manuel (João Lagarto), numa fantástica viagem aos Açores. É também para a dona da pensão, às voltas com o retrato do pai, de quem não se lembra, omnipresente na parede da sala; e para os novos amigos do adolescente, que vão cruzar o oceano em busca do progenitor. Cada personagem de "Adeus, Pai" tem o seu próprio pai por resolver. E Filipe nem sequer é dos que se safam pior.
A surpresa de ver o pai chegar-lhe à cama, dizendo que vão de férias juntos - pela primeira vez na vida; a primeira desilusão quando, à chegada, o pai compra um monte de jornais; as confissões e intimidades; as brincadeiras e disparates de ambos no cenário onírico dos Açores.
Mas se tudo isto é um sonho tornado realidade para o rapaz de Lisboa, às vezes a realidade prega-nos partidas que se evitam sonhando.
Um filme a não perder!

3 comentários:

Amparo G. NB2 disse...

Olá!

Ontem vimos este filme e para mim foi excelente, assim que vou dar-lhe uma boa classificação, pois gostei muito.

Interpreto que ao final do filme o telespectador descobre que em toda a história é creada pela imaginação da criança de treze anos, e isso faz que o filme seja muito original.

Por um lado, eu não sou uma crítica dos filmes mas devo dizer que gostei da fotografia, e dos cenários naturais e abertos para nós em todos os momentos. Agora tenho muita curiosidade de conhecer os Açores!

Por outro lado, devo dizer que desde os assentos do meio da sala o filme parecia um pouco obscuro, mas as perguntas que o fazia ao pai quando jantavam fez-me esquecer aquele pequeno pormenor.

Finalmente direi que gostei de conhecer essa história porque faz que apreciemos o valor daquilo que temos nas nossas famílias.

A minha avaliação é um 8 / 10.
Beijinhos. Amparo G.

Dani Toril disse...

Bom dia!
depois de ler o comentário da Amparo sobre o filme "Adeus, pai", concordo muito com ela. Foi um filme interessante, fácil de compreender (com a ajuda das legendas), e com momentos tristes, mas também outros engraçados. Há tempo fiz um comentário sobre o filme "A outra margem" quando foi a semana da Ágora, que é do mesmo director. Depois de ver dois filmes dele acho que gosta das histórias tristes de família.

E agora quero dar informação de mais cinema em Mérida: entre os dias 12 e 20 de Dezembro, no Centro Cultural Alcazaba, vai ser o Festival de Cinema Inédito de Mérida. Uma semana com bom cinema em versão original, filmes muito novos e difícil de ver em Extremadura, e a bom preço. Mais informação em http://www.cineclubmerida.es/f2008/f2008.php. Também vou tentar dar o meu ponto de vista no meu blog, http://masallademerida.blogspot.com, e quero deixar revistas na escola nos próximos dias. Até breve!

Dani Toril disse...

Bom dia!
O meu comentário hoje não é sobre cinema (mas quem quiser, estes dias no Centro Cultural Alcazaba está o "Festival de cine inédito"). Hoje quero dizer que já estão as fotos do jantar de natal da turma NB2: http://picasaweb.google.es/fotosaugustas, e lá cliquem em "Jantar De Natal 2008"
Algumas não são boas, e tenho poucas, mas são os problemas de fazer fotos à noite.

Até breve, e se não nos vemos, disfrutem das festas!